Across Lips

2016
publicado em 08.08.2017
última atualização 09.09.2017

Interrogações duradouras acerca da natureza da narração e suas contradições são uma constante nos campos da ciência, filosofia e espiritualidade desde tempos imemoriais. No início, todas pertenceram, de uma forma ou de outra, às grandes narrativas dominantes que definiram o estofo do mundo e um caminho inequívoco em...


Leia mais +

Interrogações duradouras acerca da natureza da narração e suas contradições são uma constante nos campos da ciência, filosofia e espiritualidade desde tempos imemoriais. No início, todas pertenceram, de uma forma ou de outra, às grandes narrativas dominantes que definiram o estofo do mundo e um caminho inequívoco em direção ao futuro. Mas o que ocorre nos momentos em que o pensamento foge de si mesmo, as ideias se dispersam, erodidas pelo esquecimento? Que tipo de narração pode se adaptar à novidade tecnológica e à vastidão do big data como um arquivo?

 

Across Lips [Por Entre Lábios] surge de uma coincidência fortuita entre minhas pesquisas simultâneas sobre o Internet Archive, um dos maiores acervos digitais do mundo, e a história do free jazz. Refletindo o mundo de hoje, o jazz se sustenta na contradição entre a restrição e a liberdade, a alegria e o sofrimento: devoção ao presente perante a ausência de futuro. Os riscos e as armadilhas da improvisação estão no perigo de se perder de vista o próprio caminho e nunca mais encontrar o caminho de volta. Se a internet pode ser arquivada, ela terá um dia algo a nos dizer? Ela não será inútil? O que existe nela é grande demais e talvez nunca possa ser organizado, o que permite o surgimento de buracos negros na suposta trajetória linear da história.

 

Com tudo isso em mente, o ritmo da improvisação como método de decodificação e uma forma de interpretação nos dá esperança, apesar de sua intangibilidade inerente, como uma ferramenta para melhor enfrentar e digerir acontecimentos sociais/econômicos/políticos como uma experiência corporal ativa. Aliando a improvisação do jazz com a vastidão do big data, Across Lips tenta decifrar o que significa contar uma história em uma era digital. Enquadrado pela expansão gradual e abrangente da internet, este filme questiona o que de fato significa acreditar em alguma coisa.


Reduzir texto -
Dados técnicos

Across Lips, 2016 | Videoinstalação
Alyona Larionova

Ações VB
20º Festival
Comentários